Livros para Rosalvo, Rosalina e Dilair da Casa Rosário

Estimada colega e amiga Ana Lavratti: Teu livro – Antunes Severo – o menino do arroio Itapevi – acaba de ser descoberto por amigos pessoais meus de Rosário do Sul/RS e isso me alerta para a possibilidade de uma nova edição. Agora mesmo acabo de atender o pedido de três pessoas com as quais convivi há mais de 60 anos quando trabalhei na Casa Rosário, importante loja de comércio de tecidos e roupas ainda existente no centro da cidade. Por se tratar de um evento que muito me alegra, transcrevo para ti e os leitores do meu blog e também do facebook, a carta que enviei para eles.

Caros Rosalvo, Rosalina e Dilair,

Em primeiro lugar, registro meu agradecimento ao primo e amigo Eloy do Prado Severo que me proporciona a oportunidade de conversar com vocês depois de passados mais de 60 anos de quando nos conhecemos, todos amparados pela família Simon Bronfman. Também faz parte dessas lembranças o Adão Feldman, na época trabalhando na Casa Rosário e que por confiar em mim, me recomendou para ser contratado como cobrador externo – que ia à casa dos fregueses receber as prestações – que às vezes estavam atrasadas.

Outro aspecto é que as minhas lembranças registradas no livro, podem não corresponder à realidade daquela época, nem as lembranças que vocês mesmos têm sobre os fatos ali narrados. O livro, tornado uma obra prima nas palavras da autora, jornalista Ana Lavratti, é entretanto, a expressão do que guardo de minha existência.

No livro, às páginas 38 a 42, me refiro ao momento em que comecei a trabalhar na Casa Rosário, como fui bem recebido e como sou grato pela confiança que em mim foi depositada. Sinceramente, me sentia como integrante da família e isso foi fundamental para minha formação como pessoa e como cidadão. Saí da Casa Rosário para cumprir o serviço militar obrigatório, onde fiz carreira durante três anos até me definir pela Comunicação, inicialmente atuando no rádio, no jornalismo, na televisão e na publicidade. Simultaneamente, fiz graduação, especialização e mestrado em Administração e fui professor por 20 anos, na Universidade do Estado de Santa Catarina até quando me aposentei para cuidar de outro sonho: a criação do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia, que vocês poderão acessar e conhecer em www.carosouvintes.org.br

Agora, chegando aos 84 anos (02 de agosto), estou me voltando para a vida familiar e para cuidados da minha saúde pessoal em honra a pessoas como Simão Bronfman e sua família que me ofereceram as bases da dignidade, ética e humanismo com que pretendo encerrar esta vida.

Abraço de carinho e muito afeto,

Eurides Antunes Severo

Florianópolis, 03 de julho de 2016

Os três tempos de um quinhentino do Predeba

Explicar texto é um negócio meio complicado e quando o texto é enigmático como este, então aí é que a porca torce o rabo. Mas, como diria Madame Fifi, vamos aos fatos porque assim são os atos.

Antunes (E), Heloisa, Preta, Predebon. Morro das Pedras, Florianópolis

Predeba, é o auto-apelido do bom amigo José Edemar Predebon, marido da Helô e pai de uma porção de filhos ainda mais lindos do que eles.

“160113 é um antigo quinhentino feito em sua homenagem e que fará cinco anos dia 31 próximo”. 160113 é como ele costuma escrever as datas. Esta, por exemplo quer dizer 13 de janeiro de 2016. Quinhentino é um tipo de crônica/poema – ou seria poema/crônica – que ele tem a pachorra de escrever com quinhentos caracteres. Isso, 500 carácteres, nem mais um, nem menos um. É alí, na batata. Isso, dito, passemos, repito, ao quinhentito (é quinhentino, mas eu queria fazer uma gracinha).

EAS, o radialista que chegou lá, tu és um privilegiado, por tudo. Pela Preta, pela carreira, por teu sorriso inefável e, concluindo, mas não esgotando, pela tua verve para brincar com o cotidiano, qualidade que Jorge Amado se orgulhava de cultivar. Pois Don Eurides, saiba que cangalha rima com migalha, e que a boa rima não falha (nem atrapalha). Que se não brincarmos com as palavras e com os amigos, este mundo vai ficando cada vez mais cinza. Continuemos, pois, Severo, (pero no mucho) a fazer rir nossos caros ouvintes, também com textos quinhentinos, como este, confira. Abrako do predeba 120131

Reminiscências da noite de lançamento do livro O menino do arroio Itapevi

Ana Lavratti, autora do livro e sempre alerta para as datas de aniversário, publicou a foto com o texto: “ELE MERECE – Comendador da Comunicação Antunes Severo comemorou seus 83 anos e o dia dos Pais em uma única semana, sempre cercado pelo amor superlativo dos cinco filhos, ilustrado na reverência do seu xerox, Gilberto (à dir.). Foto recortada da coluna GENTE da Ana no Notícias do Dia de Florianópolis, edição segunda-feira, 10 de agosto de 2015.

Jornalista Roger Bittencourt morre atropelado em Florianópolis

O acidente ocorreu durante treino de ciclismo na SC 401, no norte da Ilha de Santa Catarina, no domingo 27/12/2015. Nas matérias publicadas, nesta sefundaa-feira, 28/12, o jornal Notícias do Dia inclui este comentário que fiz no meu Facebook.

 

 

Letras & Artes

Diário Catarinense. Anexo. Quinta-feira, 3 de dezembro de 2015. Coluna Notas.

 

 

ACLA dá posse a novos acadêmicos e premia personalidades

A solenidade de posse da jornalista Néri Pedroso, da arte-educadora Maria Terezinha Heimann e do radialista Antunes Severo ocorreu na sessão solene desta sexta-feira, 4/12, em Florianópolis. Os novos acadêmicos ocupam as cadeiras 19, 16 e 21, respectivamente, tendo como patronos Carlos Roberto Jardim, Harry Laus e Adolfo Zigelli.

Aguinaldo Filho (E), Antunes e Preta Severo, Néri Pedroso

Inicialmente e como parte da programação de encerramento do ano Acadêmico foram premiadas as personalidades destacadas nas áreas Literária, Musical, das Artes Visuais e das Artes Cênicas de 2014 e feita a entrega do Prêmio Academia Catarinense de Letras e Artes na qualificação Conjunto da Obra.

O grupo de dança Cena 11, com vinte anos de trabalhos marcantes,  recebeu o prêmio Conjunto da Obra. As personalidades homenageadas foram a editora Marina Moros, representante do campo da literatura, a artista visual Raquel Stolf e a diretora de teatro Marisa Naspolini. A orquestra Camerata Florianópolis foi contemplada com o Personalidade Musical do Ano, após ganhar destaque fora de Santa Catarina e se apresentar no Rock in Rio.

O presidente do Instituto Caros Ouvintes, Antunes Severo solicitado a falar sobre o evento e sua significação, assinalou: “Estamos em pleno campo de ação com o desafio de encontrar reforços e ampliar nossa capacidade de gerar cultura. Estamos reunindo padrões de comportamento, crenças, conhecimentos, hábitos e costumes. Fomos chamados e estamos respondendo com nossa adesão a uma entidade que se dedica a qualificar padrões sociais ligados à criação e difusão das belas-artes e das ciências humanas, em todos os níveis e escalas. Queremos que a cultura vá além do privilégio de oportunidades como esta que estamos vivendo nesta solenidade. Queremos que o texto seja universal, que a poesia embale mais corações, que a música seja o elo sonoro da felicidade geral, que as artes plásticas estejam ao alcance de todos, que o teatro seja iluminado pela imensidão do sol. Queremos fazer, antes de mais nada, como disse o Dalai Lama,  “um apelo por uma reorientação que nos distancie da preocupação habitual com a nossa própria pessoa. Um apelo para nos voltarmos para a ampla comunidade de seres com os quais estamos ligados, para a adoção de uma conduta que reconheça os interesses dos outros paralelamente aos nossos”. E finalizou: Por isso estamos aqui”.

Associados elegem gestão 2016-2017 da FloripAmanhã

Associados da FloripAmanhã participaram de Assembleia Geral no Sapiens Parque na quarta-feira (25/11) para eleger a diretoria da Associação para o período de janeiro de 2016 à dezembro de 2017. Anita Pires foi a presidente reeleita, com Thiago Schutz na vice-presidência. Antunes Severo retorna à diretoria da entidade como integrante do Conselho Fiscal (veja a seguir todos os diretores e conselheiros eleitos).

Na Assembleia, Anita apresentou aos associados três importantes iniciativas que a FloripAmanhã vai trabalhar nos próximos anos: o Programa Florianópolis Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia; a articulação com instituições do judiciário e órgãos ambientais para a criação de um espaço de diálogo com a sociedade e uma ação nova que está começando a ser desenhada para envolver os empresários na gestão da cidade.

“Neste momento em que os partidos políticos estão impregnados pela falta de comprometimento e a gestão pública está falida, precisamos encontrar um novo modelo de gestão para as cidades e a cooperação público-privada é fundamental para resgatar nosso país”, analisa a presidente da FloripAmanhã. Segundo Anita Pires, “As cidades inteligentes e criativas, com bem estar social e geração de empregos têm uma contribuição muito forte do setor privado com o setor publico. A FloripAmanhã vai procurar empresas de Florianópolis para discutir com elas de que forma podem ajudar o poder público na solução dos problemas que afetam a cidade, principalmente no que diz respeito a gestão. A cultura da gestão do setor privado com certeza trará resultados mais efetivos para a sociedade, que é quem paga a conta”, conclui Anita, que indica a reportagem da Revista Exame “Capitalista também é cidadão” como referência para esta ideia.

Foi agendado para fevereiro o planejamento estratégico que detalhará as ações e projetos da gestão 2016-2017. A Associação continuará com os Grupos de Trabalho da Costa da Lagoa, liderado por Nélida Hartmann e Eizete Marques; o GT de Revitalização de Espaços Urbanos e Meio Ambiente, coordenado por Salomão Mattos Sobrinho e Oreste Mello; e vai iniciar o GT Náutico, com coordenação de Alexandre Mazzer.

Após a eleição, o diretor executivo do Sapiens Parque, José Eduardo Fiates, apresentou o “Centro Sapiens”, um projeto do Sapiens Parque em conjunto com a Prefeitura e outras entidades, entre elas a FloripAmanhã, que junto com parceiros está inserindo o Programa Cidade Criativa UNESCO da Gastronomia nesta iniciativa de revitalização do centro histórico com estímulo a atividades econômicas de inovação.

Gestão da FloripAmanhã 2016-2017

Presidente: Anita Pires

Vice-presidente: Thiago Schutz

Diretor Administrativo: Carlos Leite

Diretor Administrativo adjunto: Ricardo Domingues

Diretor Financeiro: Ray Martins

Diretora Financeiro adjunta: Solange Borguesan

Diretor de Comunicação: Roger Bitencourt

Diretora de Comunicação adjunta: Ana Lavratti

Diretor de Jurídico: Aldo Pereira

Conselho Fiscal – Titular: Paulo Rocha, Angelo Savini e Eurides Antunes Severo. Suplentes: Ney Walmor Hübener, Gerson Wanderley Leal e Roberto Bispo Pereira.

Fundador fala sobre os 30 anos da ADVB/SC

As três décadas de atuação da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADVB/SC) foram reverenciadas pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina em sessão solene, realizada na noite do dia 15 de julho de 2014, no Plenário Osni Régis. A homenagem à ADVB/SC foi proposta pelo deputado Gilmar Knaesel (PSDB) e aprovada por unanimidade pelos parlamentares.

Em seu discurso, o fundador da ADVB/SC, Eurides Antunes Severo destacoiu o cenário de crise econômica e o contexto de luta pela redemocratização que marcaram o país no ano de criaçãoa da entidade. “Quando se tem um propósito e perseverança, os obstáculos deixam de ser intransponíveis e passam a ser estímulos para a nossa criatividade”. afirmou Severo e prosseguiu: “Assumimos a  missão de reconhecer e desenvolver as práticas de marketing e vendas: fomenetando relacionamentos e a difusão de idéias que agregassem valor à cidadania da sociedade catarinense, usando ingridientes como inovação, credibilidade, transparência, ética e responsabilidade social”.

A ADVB/SC foi criada em 1984 para desenvolver e epremiar práticas de marketing e vendas. Atualmente a entidade possui dez regionais atuando diretamenteem Blumenau, Brusque, Cacádor, Chapecó, Criciúma, Grande Florianópolis, Itajaí, Joinville, Lages e Tubarão.Além de oferecer aos associados cursos nas áreas de gestão e marketing, a ADVB/SC promove, anualmente, os Prêmios Top de Marketing, Empresa Cidadã e Personalidade de Vendas. [ Com informsações da Revista ADJORI/SC. Edição 2015 ]

Da direita para a esquerda, cantando o hino de Santa Catarina Nivalda (Preta), Jacqueline, Gisele e Giane Severo

 

 

Ciadadãos Floripa na coluna do Cacau

Antunes, Giane e Marquinhos

Antunes Severo, a filha Gi e o ídolo Marquinhos Santos, que abriu a boca anteontem (6/4), depois da goleada de 4 a 0 no Guarani de Palhoça, contra alguns diretores do Avaí que não estão dando conta do recado, juntos na cerimônia em que receberam o título de Cidadão Honorário da nossa Floripa. Publicado pelo Cacau Menezes na sua coluna da quarta-feira, 8 de abril no Diário Catarinense. Foto Antônio Lopes.

Justiça merecida

Antunes e João Décio

O jornalista João Décio Machado Pacheco escreveu o texto abaixo, publicado no facebook por sua filha Lili Macedo. Republicamos aqui no Caros Ouvintes como forma de compartilhar estas memórias e a homenagem de Pacheco ao presidente do Instituto Caros Ouvintes, Antunes Severo.

No último dia 23 de março, mais um destaque ultra merecido – titulo de Cidadão Honorário de Florianópolis – foi entregue, entre outros tantos, a Eurides Antunes Severo, ao longo de sua retumbante trajetória profissional.

Sinto-me como se também tivesse recebido tais honrarias, já que acompanhei de perto sua gloriosa marca de sucessos inquestionáveis; imagine, caro leitor, que alcancei o privilégio de ter sido seu sócio ao lado de Rozendo Lima e Unuri Silvério na Padrão Produções Sonoras, ligada a famosa A.S. Propague. Não preciso dizer mais do que já afirmei, inclusive a ele pessoalmente, quando comparei sua chegada a esta terra maravilhosa como um marco, que dividia magistralmente o tempo da comunicação, não só do setor da propaganda, em – antes e depois de Antunes Severo!

Sua ação, a partir da criação da A.S. Propague, beneficiou e sustentou rádios, jornais e revistas, além de muitos profissionais do ramo, que só vieram a exercer dignamente a sua profissão, após o advento chamado – Antunes Severo!

Antes deste tempo, campeava o amadorismo do qual fiz parte.

Sempre fomos muito bons no que fazíamos, eu e igualmente amigos igualmente geniais! Este seria um capítulo a parte a ser escrito, o que não cabe no momento.

O importante é enaltecer o fenômeno Antunes, que veio preencher o que nos faltava: uma diretriz, a convicção de nossos valores, para converter nossas ações, em números que nos fizessem prosperar comercialmente.

Antes de Antunes, cansei de trabalhar de graça, só pelo prazer de ver reconhecido o meu talento. Como pois, não reprisar meu testemunho a esse homem, que a meu ver, ainda não teve todo reconhecimento merecido?

Aliás, uma coisa eu ainda não tive o prazer de assistir, vindo desta terra abençoada: o exemplo de outros centros do País, especialmente do norte e nordeste, que tudo fazem para enaltecer seus “ídolos” a nível nacional.

Não é possível ignorar o que representaram para a comunicação de Floripa e Santa Catarina, Manoel de Menezes, com a sua Rádio e Jornal A Verdade, avançado um século no tempo do jornalismo, reconhecido na época até por um seu desafeto, 1º Tabelião de Notas da Capital, meu amigo e patrão.

Menezes usava na época toda a técnica na conquista do Ibope, que somente muitos anos depois foi implementado por veículos de ponta, como o Estado de São Paulo, Veja, Folha, O Globo e todos os demais órgãos do ramo que pretendam garantir o seu lugar ao sol.

Mesmo incompreendido, Manoel de Menezes foi sucesso absoluto, como foi o Jornal A Ponte de Odilon Lunardelli, O Estado de José Matusalém Comelli, para não entrarmos nos veículos de rádio e televisão do meu amigo Darci Lopes, o que alongaríamos por demais este meu desabafo entusiasmado.

Deixo de lado também o setor do talento artístico, onde lembro de amigos como: Mazinho do Trombone, Djalma do Sax, Luiz Henrique Rosa, Zininho, Neide Maria, Regina Vaz e tantos outros, que espero, ainda venham a ser lembrados, por parte daqueles que continuam na ativa, e que igualmente são merecedores dos maiores destaques pelo que fizeram e continuam fazendo pela nossa comunicação, a exemplo de Cacau Menezes – o amarelo de berço mais badalado, cuja herança o credencia; Roberto Alves, Miguel Livramento, Emílio Cerri, Walter Souza, Cyro Barreto, Marisa Ramos, Osmar Teixeira, José Valério, Roberto Salum, Dakir Polidoro, Renê Roberto, Sílvio Loddi, Nabor Prazeres, Salvador dos Santos entre outros que meu inimigo Alzheimer deve ter feito com que os esquecesse de momento; a estes que, justo por estarem brilhando em seus postos, e que para nossa alegria ainda não partiram desta para melhor, dispensam meu comentário.

Falando no presente, sobre os tempos atuais, ainda assim tenho que destacar novamente, Antunes Severo! Não fora este salvador da nossa comunicação, e não teríamos resgatada a memória da nossa história através do seu Instituto Caros Ouvintes outro marco, vindo de seu inesgotável talento criativo

Portanto, Antunes, ao contrário de muitos forasteiros que por aqui passaram, você representa a boa nova em todos os tempos, muitos anos ao lado de outra figura inesquecível da nossa comunicação na época, atuando na famosa Diário da Manhã, jornalista Adolfo Zigelli.

Na verdade, seria injusto não mencionar nomes como Hélio Kersten Silva, Aibil Barreto, JJ. Barreto, Amílcar Cruz Lima, Júlio Behnke e tantos outros que, direta ou indiretamente se beneficiaram com a sua imponente presença em nosso meio.

Espero ter que cumprimentá-lo outras vezes por destaques merecidos, que haverão de surgir, no afã de te fazer a Justiça merecida.

Do amigo e admirador,

Jornalista João Décio Machado Pacheco