Arquivo do Mês para janeiro, 2013

Revivendo: Rádio Paraná AM 630

Amigo Antunes: Gravei o programa “Revivendo” para sábado (meio-dia) com reprise domingo (7 da manhã) na Rádio É Paraná AM 630. Seu nome foi mencionado (veja abaixo). Um abraço bem grande e votos de felicidades. Bira.

“UBIRATAN – Antunes Severo, comunicador de extraordinário valor, atuou em Curitiba durante alguns anos. Cresceu e projetou-se pelo seu talento inicialmente na Rádio Marumby e depois na Rádio Clube Paranaense onde entre outras coisas foi apresentador de programas de auditório. Em 1956 foi eleito “Melhor Animador  do Rádio do Paraná”, numa época de grande efervescência de nossa radiofonia. Certo dia transferiu-se para Santa Catarina onde atuou e brilhou em diversas emissoras. Sempre esforçado e estudioso, foi também jornalista e professor universitário e foi o criador de um site campeão de acessos, o www.carosouvintes.org.br com o qual prestigia os radialistas brasileiros. A vida de Antunes Severo tem sido de permanente luta e muitas conquistas e a sua história, cheias de exemplos dignificantes, é agora contada em livro pela escritora Ana Lavratti intitulado “ANTUNES SEVERO – O MENINO DO ARROIO ITAPEVI”. O livro pode ser adquirido na Editora Insular, no endereço http://www.insular.com.br/. Presto minha homenagem a meu velho amigo Antunes Severo e envio para ele um grande e fraternal abraço.”

Luiz Carlos Araújo, dia 17/01 no Facebook

Viajando com o menino do arroio Itapevi

Antunes,

Recebi o livro. Viajei para Curitiba, dali para Londrina e Rolândia. Muitos gaúchos pelos caminhos, empreendedores que são, uns de Tapejara outros de tantos arroios dessa terra das lonjuras.

Ontem, levantei às 04h30 para o aeroporto, a sair de Londrina para Campinas e dali para o Rio de Janeiro, chegada às 10h30. Desde ao abrir o livro, já no aeroporto de Londrina até a chegada ao Rio, o Menino do Arroio Itapevi viajou ao meu lado.

Mais ainda, pelas Condensados de Bose Einstein, a formarem em minha Mente/Memória imagens de grandezas. Desafios, vitórias a descolarem lágrimas dos caminhos de coração.

Hoje, mais do que nunca, compreendo a sua vida, a presença da companheira Pretinha. Nunca me esqueço da primeira vez que lhes encontrei e falamos sobre a Espiritualidade. Entendo porquê de tanta distância, pudemos construir essa amizade.

Explicar sintonias de tantas lonjuras e comungar em rede, com coragem, a conquista da vida. D. Lahir, desafiada pela dor e pelas regras de Clã, a travar batalhas de vidro e corte. Sua amizade com os irmãos, de caminhos diferentes, a comungarem na encruzilhada amorosa.

Enfim, caro Antunes, me nutri de mais grandeza, além de tantas por tantos anos. Méritos, tantos, a força do guerreiro. Ogum te abençoe e proteja todos os caminhos, neste ciclo de colheitas. Muitas bênçãos, desde a passagem pela terra mineira, em Três Corações – magoado de injustiça – em novos horizontes.

Paz, boa colheita, com profundo respeito e um aconchego, caloroso de um abraço mineiro, em beira de fogão de lenha, tomando café de rapadura, para a Pretinha – que companheira – vivas. Muito breve lhes visitarei. Com saudades, muitas, apesar das pagas pela chegada neste livro, guardado inteiro no coração.

Sempre,

Sebastião Carlos de Oliveira Andrade, com o agradecimento pelo “Ouvinte de Itabira, homenagem percebida à página 86. Como fizeram diferença esses monólogos-diálogos na minha vida.

Ana Lavratti escreve biografia de Antunes Severo

Antunes Severo, comunicador de extraordinário valor há muitos anos radicado em Florianópolis, quando atuou em Curitiba destacou-se pela sua competência na Rádio Marumby e na Rádio Clube Paranaense. Em 1956 foi eleito “Melhor Animador do Rádio do Paraná”. Esse radialista, jornalista e professor universitário há anos tem dedicado o brilho do seu talento em Santa Catarina. Sua linda história de vida, cheia de lutas, dedicação e conquistas é contada no livro da escritora Ana Lavratti “ANTUNES SEVERO – O menino do arroio Itapevi. Nossa homenagem a esse velho amigo até hoje estimado e sempre lembrado em Curitiba. Ubiratan Lustosa/ www.ulustosa.com

Quem é Ubiratan Lustosa Vânia M. S. Ennes? 

Ubiratan Lustosa nasceu em Curitiba, em 1929,  formou-se em direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e dedicou-se à comunicação social. Admirável radialista, poeta, trovador, escritor, letrista, contista e historiador é um dos nomes mais destacados da história do rádio curitibano, paranaense e brasileiro e autor de vários livros.

Cativante e comunicativo, desde menino desejava ser locutor e assim iniciou muito cedo sua gloriosa carreira, nos alto falantes dos circos, parques de diversão, quermesses de igreja, festas juninas e campanhas políticas.De extraordinária capacidade profissional, muito cedo Ubiratan Lustosa tornou-se diretor das Rádios Marumby e Rádio Clube Paranaense – PRB-2, então a mais importante e possante emissora do Estado.

Através de sua voz sonora de locutor e dotado de um cérebro privilegiado Ubiratan transmitia credibilidade, confiança e respeito aos milhares de ouvintes. Um predestinado! Grande incentivador da cultura escrita e falada e um dos fundadores da União Brasileira de Trovadores – UBT Seção de Curitiba, Pela marcante personalidade e pela forma serena e educada de agir, Ubiratan vem conquistando uma legião de amigos ao longo da brilhante carreira, através da sua simpatia e alto astral.

Auto de regozijo com 500 caracteres

Aleluia!! Viva o menino de Itapevi!  Hosanah! Viva a espera que sempre alcança! O predeba não é mais um sem-livro! Viva Ana Lavratti! Viva a Rádio Marumby! Viva a Rádio Diário da Manhã! Viva o Instituto Caros Ouvintes! Viva a Editora Insular! Viva a Preta! Viva o Gilberto!  Viva a Jacqueline! Viva a Gisele! Viva a Giane! Viva a Jasmine! Viva o Antunes! Viva a Sonia Bridi! Viva o Eurides! Viva o Eduardo Meditsch! Viva o Severo! Viva o Roberto Costa! Viva a Ilha de Santa Catarina! Viva a Tainha de Floripa! Viva o rádio Brasileiro! Viva este escriba com o orgulho de ser amigo de todo mundo citado neste auto!

José Predebon, Com 81 anos de idade, continua (ainda que pareça incrível) lecionando Inovação e Criatividade. É o que tem feito desde 1986, quando já tinha cabelos brancos, hoje praticamente inexistentes, assim como os outros. Até então exercia a criação publicit&aactueria, com um desempenho considerado suficiente para receber prêmios (inclusive aquele badalado Leão do Festival de Cannes). Lecionando, também não foi mal. Criou e dirigiu de 1993 a 1996 um Departamento de Criatividade na ESPM. Estudou sociologia e propaganda mas é principalmente um poeta, do que mais se orgulha. Tem 13 livros publicados, entre eles o “Criatividade Abrindo o Lado Inovador da Mente”, o mais adotado no país no seu campo, em cursos de ADM e Marketing. Pretende continuar escrevendo um livro por ano, até ir embora.

Seus livros:

* Criatividade – abrindo o lado inovador da mente | Editora Atlas, 7a Edição 2010 * Criatividade hoje: como se pratica, aprende e ensina | Editora Atlas, 3a Edição 2003 * Inovação no varejo | Editora Atlas, 2a edição 2009 * Caleidoscópio (romance) | Produção Editora Atlas – 2005 * Propaganda Profissionais Ensinam Como se Faz | Editora Atlas – 2000 * Curso de Propaganda | Editora Atlas – 2007 * Convivencialidade | Editora Atlas – 2001 | Gestão da Inovação | Editora Profitbooks – 2008 | Criatividade para Renovar Aulas | Brainstore – 2009 * Profissão Professor | Cia dos Livros – 2010 * Pensar e Sorrir em 2012 | Cia dos Livros – 2011 * Viva a Equipe Inovadora | Quark Press Editorial – 2012 * Deslimites (Poesia) | Editora Dag – 1986 esgotado

Florianópolis, 9, janeiro, 2013

Prezado Antunes

Naveguei no teu “O menino” de uma “vereda” (Não é assim que se dizia no tempo do arroio Itapevi?) O que me segurou o pulso e a navegada foi o entusiasmo-prazer com que você e a Ana se apossaram da minha curiosidade. Que menino danado, corajoso, sortudo? Tudo isso e o que mais? Ah!, o manejo da linguagem trabalhando com uma grande metáfora digna de um romance grande estilo.

Só tem um detalhe! Na prática estética você fecha o “o menino” em 1984, digo em 1976 quando você assumiu uma cátedra universitária.

E aí fiquei triste e decepcionado! Eu queria ver o menino que havia crescido tanto!

E aí me deu o estalo. Que tal você e a Ana escreverem “O intelectual do arroio Itapevi?”

Reconheço que a palavra “intelectual” assusta e corre com o leitor. Por que não  “O bruxo do arroio Itapevi”?

Um abraço do “menino do Rio Mãe Luzia”.

Estou semi-velho – aos 83 anos – mas continuo menino. Deus me livre de perder essa marca! O Celestino Sachet.

Caro Mestre e bom amigo, que tanto admiro.

Tuas palavras aumentam nossa gratidão, pois que generosas e singelas se afeiçoam ao que mais prezamos: nossa origem humilde, nossa força de vontade e nossa gratidão pelo que hoje desfrutamos em nossa vida madura. Madura e simples, como queremos encerrar esta etapa da vida.  Sua benção Mestre. Essa é nossa maior recompensa. Antunes Severo e Ana Lavratti