Ana Lavratti ganha mais um testemunho da história que contou

Bar e Armazem Itapevi, na encruzilhada da BR 290 com a estrada que vai em direção à Serra do Caverá. Em primeiro plano o sobrinho Edemilson Severo Cunha e o meu irmão por parte de mãe Jesus Severo

Amigo Antunes Severo, visitei o blog e encontrei a reprodução da minha mensagem. Foi ótimo.  Assim fiquei mais atualizado sobre suas publicações. Sobre o Eloy tinha dúvida quem era. A gora pelo Gmail, tive a certeza de que realmente eu conheço o Eloy do Prado Severo, fica bem perto de onde nós moramos. Tive pesquisando com os vizinhos moradores da região e logo surgiram as lembranças daquela época.

Nosso avô Antônio Cândido Severo

Sobre Antonio Cândido Severo, a historia real quem contava era a tia Arminda irmã da minha mãe: “Eles vinham de umas carreiras ali perto e o tal assassino, ele e outro cara, entraram em negócio dizendo que queriam comprar vacas. Só que na verdade era uma emboscada. Um cara ficou para mais distante e outro seguiu o meu vô e na cancela que era giratória quando ele se abaixou para girar a cancela o assino deu um tiro mortal nele (a traição)”. Tem lá onde era a cancela uma pedra com uma cruz onde ele tombou, só  não sei se tem a data.

Sobre a localização da casa que você mencionou, está correta. Essa propriedade há muitos anos foi comprada pelo Sr. Otaviano Silveira de Souza.  A casa está lá igual, paredes de pedra com algumas reformas, mas mantendo o original como era. Hoje mora lá um filho dele, Odilcon Iarto de Souza.

Sobre a tia Eloá e tio João Vieira, ambos já falecidos, o filho dele esteve aqui hoje e comentou que faz 17 anos que ele faleceu. O Mazário já está com quase setenta ou setenta, não lembro bem, esta enfrentando sério problema de saúde. Se você adicionar Berê Amaral, vai ver as fotos que fizeram no churrasco de aniversário dele agora em maio.

Sobre a balança está lá pesando gado e o Bar Itapevi está com a Berê e o Jorge Augusto. Minha Mãe é irmã do finado João Vieira por parte de pai. Nós moramos enfrente ao local de arremates a onde está a Balança e o Bar Itapevi. A ponte que divide os municípios fica dentro do nosso campo na BR 290.

A Igrejinha está lá, foi restaurada há alguns anos. O meu pai está sepultado lá e vários outros parentes das famílias Severo, Vieira, Silveira, Amaral e mais alguns que entraram na família.

Darci Severo Vieira, meu primo irmão, filho da tia Eloá e do tio João Vieira, irmão do Mazário, em foto de 12 de setembro de1955.

Minha mãe Horizontina do Amaral Severo, apelidada Mulata, se Deus quiser, dia 04 de Agosto vai completar 94 anos, ela está muito bem graças a Deus, com ótima saúde, melhor que os filhos.

Eu vou conversar com o Eloy sobre os locais aqui da região. Assim que der vou bater algumas fotos dos locais e vou lhe enviar tudo atualizado.

Estou esperando o livro. Já encomendei, deve chegar esta semana; estou aguardando e muito curioso.

Estou respondendo hoje porque soube que você estava para a feira do livro.

Se tiver algumas idéias sobre qualquer coisa referente ao local Itapevi estou a disposição do amigo, pode mandar perguntar que lhe responderei corretamente. Um grande abraço. Mais uma vez meus parabéns por essa sua linda história e exemplo de vida. Elias Severo

0 Respostas para “Ana Lavratti ganha mais um testemunho da história que contou”


  • Nenhum Comentário

Deixe um Comentário